quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

do blog do Chico Anysio

eu li adorei e acrescentei um pouco
O SUCESSO

Pitigrilli dizia que “quem escreve num diário o que lhe aconteceu naquele dia está fazendo a mesma coisa que se assoar e, depois, olhar no lenço o resultado da operação”. É bem provável que o excomungado escritor italiano estivesse certo; mas, como tudo que Pitigrilli disse foi esquecido – como, aliás, o próprio Pitigrilli também o foi, vamos fazer de contas que isto nunca foi falado e eu posso dedicar uma hora de cada manhã a um retrospecto de ontem. Vale a pena ? Pode ser que sim, pois eu já fiz setenta e sete anos e por estar dentro da vida desde os de-zesseis, já me considero suficientemente preparado para usar o único atributo que a idade nos proporciona: a experiência. Minha idéia nasce de uma frase que a Marieta Severo disse e que ligou uma chavinha no meu cérebro:
- Depois dos cinquenta, quem acordar sem sentir nada diferente,
nem ao menos uma dorzinha, está morto.
Não há nenhuma severidade por parte da Marieta nem intenção da minha parte em fazer uma gracinha. Marieta está coberta de razão e, ao dizer esta verdade ao mundo, mostra possuir a inteligência que lhe permitiu ser anos e mais anos casada com um Francisco e, para sempre, avó de outro.Vamos fazer um sambinha ?


Dói o pé, dói a mão,
Falangeta, falanginha,
dói o queixo, dói cabeça,
dói a sua, dói a minha,
é que sou um setentão
é… e disso não se esqueça.

Cai coriza, cai cabelo,
cai vontade de montão,
cai o restinho do pelo,
cai a meia e não levanto,
é que eu sou um setentão
é… e cai por todo canto.

Dependendo do Dudu Nobre que o complete e do Zeca Pagodinho que o grave, pode fazer algum sucesso. Mas pra que ? Esse papo de sucesso é uma coisa tão esquisita, tão sem explicação que às vezes até mesmo nas algumas vezes em que fiz sucesso eu me perguntei: Para que ?
O sucesso nos dá um destaque, o público fica nos conhecendo, em muitas ocasiões nos reconhecendo o valor, o salário cresce, mas aí vem um do Acre e faz mais sucesso ainda. O salário estabiliza (o que para quem vinha de um sucesso já significa grande prejuízo), o público para de apontar, as crianças não pedem mais aqueles adoráveis autó-grafos que quando dávamos fingíamos odiar. Voltamos ao patamar de antes. Chato. Muito chato, porque quem já possuiu um automóvel, não suporta mais andar de van. That’s life.


minha contribuiçÃO::

CONCORDO com CHICO, APARTIR dos 40 e uns, dois, começam aparecer dores q ñ sei de onde surgem..é dor no ciático, dor no quadril por causa da osteopenia(parente + nova da osteoporose)..caraca eu durmo sem dor, mas acordo com dor, até já aprendi uns macetes p/ driblar ela, qdo tá muito atacada, é cálcio, solzinho de manhã, bainhú morno, alongamento e ai vai aliviando e um truque: ñ dar muita bola p/ ela!! pq ela é igual a celulite: "espaçosa", se vc der moleza , se instala!

mas escutei um comentário do Pedro bial:
q a experiência é como vc andar de carro de ré com farol acesso, vc vê os erros, mas ñ adianta nada ..pq ñ dá p/ consertar...então esta tal de experiência é uma M , pq ñ serve p/ nada!!

Nenhum comentário: