quinta-feira, 7 de abril de 2011

Família arteira

Minha mãe conta que seu avô, meu bisavô era meio artesão, fazia cestos de palha, bancos, móveis..
que para época era considerado, digamos assim um sujeito, meio vadio, visto que todos iam para labuta na roça e ele não queria nada com nada, ficava lá tecendo seus cestos, fazendo seus bancos..rsrsrs..


Meu irmão mais novo, assim como eu sempre foi chegado numa arte, mas minhas artes eram crochê, pinturas, tricô, bonecas de pano etc.. 
e ele (meu irmão) fazia bijouteria,colares, brincos, mas não eram biju comuns eram com sementes, penas, creio que ele foi a 1ª pessoa que conheci que reciclava, 
minha mãe brigava porque seu quarto era cheio de "tralhas" coisinhas que ele guardava para aproveitar, isso em 78,79, 80  qdo ele tinha apenas 15, 16 anos, numa época onde ninguém ainda falava em reciclar.
Depois de muito criticarem e brigarem com ele, acabou que ele desistiu de suas artes. 
Minha mãe dizia: este puxou o Didinho velho, e isso não dá futuro para ninguém, tem que arrumar trabalho!

Ainda tenho uma bruxinha que ele fez e me deu, esta:

 Ela foi feita de massa biscuit e colada em cima de uma pedra, tirada na chapada Guimarães e colocado este cristal, não é um fofo meu irmão?

Esta já é uma arte minha, porta papel higiênico de crochê






Esta foi mamis que fez, deixa contar, minha mãe nunca fez crochê, nem pintura, só tricô e costura, lá em casa quem fazia crochê e pintura era eu, ai um belo dia, ela já com seus 70 anos, resolveu aprender e não é que aprendeu direitinho, a danada?


E me deu este paninho fofo! 

Beijos, tenham uma boa quinta feira!


3 comentários:

Fabiana Tardochi disse...

Que família linda de gente prendada:)
Parabéns a todos!!!
Beijos

Lia disse...

Nossa não tenho esse talento .. pra tecer ... acho super complicado.

Zuleide Felisberto disse...

Lia é tão facinho, os pontos são bem basicos e logo sai um belo trabalho, bjus!