domingo, 14 de dezembro de 2008

Baco DEus do Vinho


Como identificar um bom vinho
Aprenda a usar os sentidos para reconhecer a qualidade de um vinho
OLHAR
Levante um cálice pela base até a altura dos olhos. É possível identificar cores e tonalidades. As principais tonalidades são as seguintes:
Violácea: própria dos tintos jovens, de acidez saliente. Típica de uvas como a Shiraz
Rubi: também de tintos jovens, mas de acidez menos áspera. A uva é a Cabernet Sauvignon
Escura: é típica dos tintos equilibrados e maduros. A Tinta Pinheira, uva portuguesa, produz vinhos nessa tonalidade
AROMA
Movimente o cálice em círculo e aproxime-o do nariz. A agitação do líquido libera uma grande quantidade de perfumes
SABOR
Sorva um gole, movimente o vinho na boca e preste atenção. Você vai perceber inesperadas nuances de paladar


Como a uva se transforma em vinho

Não se faz vinho de qualquer uva. Só as da espécie Vitis vinifera, bem diferentes das uvas que comemos, são usadas. Elas têm concentração de açúcar maior e, bagos pequenos. Os cachos são grandes e chegam a pesar 1 kg.

As uvas são esmagadas e o enólogo mistura ao seu suco as Saccharamyces (foto), um microrganismo vivo que transforma o açúcar da uva em álcool.

A fermentação é acompanhada cuidadosamente. A temperatura, a acidez, o teor de açúcar e álcool são controlados. O vinho engarrafado passa por um processo de maturação.

Nem todos os vinhos melhoram com o tempo. A maior parte deles é produzida para ser bebida no máximo depois de dois anos de engarrafamento. Só bebidas excepcionais suportam mais de quatro anos.

Nenhum comentário: